Solicite!

(11) 2677-9102 / (11) 98038-6232
NEXTEL (11) 94036-5405
ID: 35*77*33069

Solicite pelo WhatsApp

Transporte de cargas e encomenda aérea

Transporte de cargas e encomenda aérea

O transporte de cargas e documentos aéreo ainda não possui muita expressão no Brasil, ainda mais quando comparado ao sistema rodoviário, líder do transporte de cargas dentro do país.

Apesar disso, é válida uma atenção para o transporte aéreo, porque suas particularidades podem atender as necessidades que outros modelos deixariam muito a desejar. Você já deve saber que as principais vantagens desse transporte é a urgência e agilidade.

Assim, uma carga enviada por meio aéreo possui o benefício de chegada bem mais rápida do que se fosse transportada pelas rodovias, que, em nosso país, possuem uma qualidade baixa, além da falta de segurança em muitos pontos.

A característica direcionada à urgência também é muito marcante, porque significa, por exemplo, que os produtos perecíveis ou com curta validade chegarão a tempo aos seus destinos. Pensando na logística, o transporte de cargas e documentos aéreo é a melhor opção.

Esse meio pode ser a solução dos seus problemas, mas não se esqueça que, assim como outras transportações, existem regras que devem ser tomadas, conheça-as agora:

Documentos necessários para o transporte de cargas e documentos aéreo

Seja o transporte de cargas e documentos aéreo, terrestre, hidroviário ou ferroviário, todos eles determinam a emissão de outras documentações que são necessárias para o acompanhamento do que será entregue, desde o ponto de saída até o ponto de chegada, no consumidor final.

Graças ao avanço da informatização, a ligação entre os contribuintes e fisco estão cada vez mais profissionais, o que antes só podia ser emitido por papel, hoje é facilmente colocado por meios eletrônicos. O MDF-e (Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais) e o CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico) são os documentos eletrônicos de maior importância exigidos para o transporte de carga dentro do Brasil.

Continue lendo e compreenda melhor a funcionalidade de cada um deles e em que momentos eles precisam ser emitidos:

MDF-e: o objetivo desse documento é tornar mais rápido o registro em lote dos documentos fiscais para identificar as cargas que são utilizadas, englobando outros pontos do transporte.

Esse documento precisa ser criado depois do CT-e, e é válido em todos os estados do território nacional. O seu reconhecimento acontece para o acompanhamento do trânsito e para a recepção das mercadorias que partem de todo o território brasileiro.

CT-e: essa documentação é emitida e armazenada só de forma eletrônica, e tem o mesmo valor que uma nota fiscal comprovando a prestação de um trabalho de transporte de carga realizado de qualquer forma, aéreo, rodoviário, dutoviário e hidroviário.

Caso haja algum tipo de conferência durante o pedido em postos de fiscalização, os documentos do CT-e são exigidos, assim como os das mercadorias presentes no transporte, todas essas consultas ocorrem por meio dos registros presentes no Sefaz (Secretaria da Fazenda). Segundo a legislação nacional, o CT-e possui validade em todo território brasileiro.

Na hora de escolher pelo transporte aéreo, verifique se os procedimentos estão de acordo com os pedidos da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), essa é uma garantia de padrões de segurança, treinamento, manutenção e segurança.